viernes, 20 de agosto de 2010

Mão-de-obra no Brasil entre os séculos XV e XIX. Os índios - os negros

A primeira mão-de-obra utilizada nas terras brasileiras pelos brancos foi a indígena. Mais os portugueses inferiorizados numericamente estavam temerosos de forçar aos índios, então os tinham como trabalhadores livres. O mecanismo que se usava era o escambo.
No momento que se começou com a agroexportação, começaram a explorar ao índio como trabalhador forçado, escravizado. Foi submetido pela força das armas, eles desconheciam o trabalho escravo. Eles reagiram mais isso não impediu a escravização já que pertenceu a uns dos grupos sociais dominados pelo homem branco. Foi escravizado até fins do século XVII e em algumas regiões até fins do século XVIII. Foram empregados como mão-de-obra no princípio nas áreas produtoras de açúcar. O índio não tinha condições de escolher o tipo de trabalho.
A superação desta situação se deu por uma série de motivos.
Nomearei algumas: dificuldades para o abastecimento pela dispersão do indígena que tinha muito conhecimento do território, a proteção dos jesuítas e as guerras de eles em reação pelos roubos de terras e a escravidão. A ração principal foi o tráfico negreiro iniciado pelos portugueses a meados do século XV. O tráfico negreiro foi uns dos negócios mais rentáveis da época da colônia. A igreja aplaudia e justificava como veiculo para os converter à fé católica.
No primeiro momento, os traficantes se aproximavam a uma aldeia, os negros impossibilitados de reagir fugiam desesperados procurando escapar, era a única maneira de defender a liberdade e preservar a própria vida. As aldeias eram invadidas, incendiadas e prendiam aos que podiam. Depois passaram a estimular as guerras intertribais na África, os vencedores trocavam os vencidos por panos, alimentos, armas, cachaça. Assim mais de 70 milhões de africanosforam escravizados ou assassinados entre os séculos XV e XIX.
Das condições dos trabalhos já se falou na nota anterior.